Mudança de hábitos pode beneficiar mercado de automação

 
Apesar de uma queda nas vendas este ano, o mercado mundial de automação residencial pode se beneficiar, a médio prazo, com os efeitos da COVID-19. O aumento das receitas dos fabricantes e integradores, que era previsto em 21% sobre 2019, será apenas de 4% este ano, segundo pesquisa divulgada pela consultoria americana ABI Research.
 
Segundo o estudo, as vendas de itens relacionados a Smart Home em 2020 chegarão a US$ 85 bilhões, contra US$ 99 bi que estavam previstos. “Embora o impacto inicial tenha sido negativo, muitas das mudanças estruturais e de comportamento que estamos vendo agora serão positivas para aumentar a adoção da automação”, explica Jonathan Collins, diretor de pesquisas da ABI.
 
Como em outros setores, a queda deste ano é atribuída às incertezas econômicas e às restrições no comércio, além da dificuldade para os instaladores entrarem nas casas. Também houve problemas de interrupção na fabricação de determinados itens e na logística de distribuição. 
 
“Mas os impactos no consumo são temporários”, prevê Collins, que prevê forte recuperação a partir do ano que vem, chegando a 2026 com um total de US$ 317 bilhões, o que representaria 5% acima das estimativas feitas antes da pandemia.
 
“Smart Home é um conceito que tem valor crescente nas vidas dos consumidores”, analisa o especialista. Mas ele alerta que alguns produtos podem acabar perdendo espaço, caso dos painéis de parede com teclas tradicionais, que tendem a ser substituídos por dispositivos sem fio. 
 
FONTE: PR Newswire
 
COMPARTILHE COM SEUS CONTATOS: