DÚVIDAS

Por Alex dos Santos
Nossa equipe responde aqui as dúvidas técnicas dos leitores. Se você tem alguma, envie para: [email protected].

BLU-RAY MULTI-REGIÃO

Gostaria de comprar um aparelho Blu-ray 4K 3D e que rodasse DVDs all-region ou pelo menos região 1 e 4. Tenho atualmente um Samsung 3D BD 5-5500: o ganho desse upgrade valeria a pena? Procurei nas edições antigas e só achei uma reportagem de um Blu-ray LG 3D, mas não 4K. 

Infelizmente, os fabricantes não oferecem players de Blu-ray 4K oficialmente no Brasil. Uma solução encontrada por alguns colecionadores de discos Blu-ray é adquirir um videogame Xbox One, que reproduz discos Blu-ray 4K em Dolby Vision. No entanto, fique atento porque há três versões do Xbox One S ainda sendo vendidas: uma com drive Blu-ray (já fora de linha, mas ainda encontrada no mercado) e duas sem o drive. Conhecidas como “All Digital Edition” e “Série S” (esta a mais recente), fazem apenas streaming e jogos online. Já os Xbox One X (fora de linha) e Xbox one Serie X (recente), mais caros e com melhor processamento para games, também reproduzem discos Blu-ray Full HD e 4K. Caso você adquira um videogame importado, ele poderá reproduzir DVDs e Blu-rays de todas as regiões.  

TV ABERTA

Tenho atualmente uma TV Samsung Q7F 55″ e gostaria de comprar uma melhor, porém neste momento seria para assistir TV aberta. Pensei comprar uma 8K ou OLED, mais não sei se vou ter ganho na imagem. Já fui em lojas como Fast Shop e eles não têm antena que permite ver canal aberto, apenas aquelas imagens maravilhosas que são fornecidas pelos fabricantes.

Para assistir imagens de TV digital aberta, recomendamos uma TV que execute bom trabalho de upscaling. Geralmente, estão entre as linhas OLED e QLED, 4K ou 8K, que utilizam processadores mais avançados, capazes de melhorar a nitidez e reprodução de cores – inclusive por meio de Inteligência Artificial. 

QUAL SUBWOOFER?

Estou fazendo cotação para trocar o meu subwoofer MK de 125W por um B&W. O modelo ASW610, de 200W, continua sendo a melhor opção para minhas atuais caixas Bookshelf 602 de 120W, ou mesmo para a linha 706, que pretendo adquirir? 

O subwoofer ASW610XP tem ótim custo-benefício para uso com a linha 600, principalmente se o ambiente tiver até 20m2. Para uma sala maior, o modelo DB4S pode ser ainda melhor, além de oferecer excelente refinamento e acabamento condizentes com a linha 700. 

ASSISTENTES

Estou tentando aprender a instalar e configurar Automatização Residencial usando o Google e Alexa. Tenho procurado manuais ou apostilas com informações por escrito, passo a passo, em livrarias e outros locais, mas nunca encontrei nada a respeito. Apenas publicações no YouTube de maneira superficial e rápida, sendo impossível adquirir conhecimentos necessários sobre o assunto.

Praticamente qualquer equipamento eletrônico ou sistema de automação residencial pode ser comandado a partir de uma caixa inteligente Google ou Amazon Echo. Só é necessário que ambos “conversem” entre si, o que pode ocorrer de duas maneiras: 

  1. A) Quando há compatibilidade nativa entre eles 

Nesse caso, deve-se baixar o app (Google Home ou Amazon Alexa), adicionar os dispositivos da casa, vincular ambientes (sala de estar, cozinha, quarto etc.), configurar as rotinas e a sequência de comandos. No Alexa, é necessário baixar Skills, que certamente já trazem comandos específicos dos principais sistemas de automação. Pode parecer difícil, mas não é. Tanto o app Google Home quanto o Alexa são bastante intuitivos. Basta ter uma rede Wi-Fi estável e com internet banda larga funcionando, seguindo as instruções na tela.

Para mais detalhes, acesse os respectivos links:

https://support.google.com/googlenest/answer/9159862?hl=pt-BR

https://www.amazon.com.br/gp/help/customer/display.html?nodeId=GMNDA6Y2Q8YK7SMW 

  1. B) Através de uma interface, ou módulo com conexão de rede RJ-45 ou Wi-Fi.  

Dependendo do sistema de automação, é possível adquirir com o próprio fabricante ou distribuidor um pequeno módulo que conecta com a rede doméstica. Assim, o sistema se integra ao aplicativo e pode ser comandado por voz. Talvez seja necessário adquirir interruptores de parede e tomadas smart com conexão Wi-Fi, para receber a comunicação de uma caixa Google ou Amazon. Há diversas marcas disponíveis no Brasil, com preços acessíveis, para você começar a sua experiência com uma automação básica. 

Veja aqui:  https://www.amazon.com.br/b?ie=UTF8&node=19948920011  

Não há uma regra “passo a passo” para fazer a integração entre sistema de automação e assistentes, porque cada fabricante tem suas opções de configuração. Caso tenha dificuldades, sugerimos que procure uma revenda ou instalador especializado em automação para executar o serviço.   

MELHOR CABO

Adquiri uma TV LG OLED CX 65″ e estou muito satisfeito. Minha grande dúvida é qual é a melhor recomendação: cabo óptico ou HDMI? Lembrando que tenho um home theater Onkyo S5800 com decodificador Sky e player Blu-ray.

Cabo HDMI, sempre! Com o cabo HDMI é possível extrair áudio de alto padrão (inclusive Dolby Atmos) da TV via conector eARC, enviando a um receiver ou soundbar com esse processador.  Quando se conecta via cabo HDMI a TV ao receiver, dá para controlar seu aparelho de áudio com o mesmo controle Smart Magic da TV. Para enviar áudio via HDMI ao receiver, utilize um cabo HDMI High Speed. Em seguida: 

1) Pressione a tecla de menu/configurações do controle;

2) Vá em Saída de Som;

3) Alterne os tipos de saídas de som até chegar em “HDMI ARC”.   

Para controlar seu home theater e demais equipamentos conectados à TV por HDMI: 

1) Pressione a tecla de menu/configurações do controle;  

2) Vá em Todas as Configurações e Conexão

3) Configurações de Conexão do Dispositivo

4) Selecione: Detecção Automática de Dispositivos, Simplink (HDMI-CEC) e Sincronização Automática de Energia (caso  queira ligar seu home theater sempre que ligar a TV).

HDMI 2.1 

Para uma transmissão em 4K, o cabo HDMI tem que ser 2.1 ou pode ser 2.0?

Um cabo HDMI 2.0 é suficiente para transmitir sinal 4K da internet ou de um modem de TV paga. Cabo HDMI 2.1 deve ser usado para conectar um player ou videogame de última geração para reproduzir formatos 4K HDR. Esse tipo de cabo é projetado para suportar a largura de banda do formato 4K junto com as tecnologias de HDR dinâmico (HDR10+ e Dolby Vision), além de altas taxas de quadros e atualização (120Hz). 

PLAYER BLU-RAY

Peço que me informem onde poderei encontrar um Bluray player com boa qualidade e recursos. Nas lojas já não encontramos esse aparelho, o que considero uma lástima, pois assim como eu muitas pessoas têm coleções da mídia Bluray e não pretendem se desfazer dos mesmos. Quando acontece encontrar, são aparelhos de pouca qualidade. Já vi um aparelho da Sony aparentemente razoavel, mas como a Sony já não existe é temerosa a aquisição desse Bluray. Me ajudem se possível em sites de confiança ou vendedores conhecidos. 

De fato, players Blu-ray Full HD estão praticamente “extintos” no mercado. Um dos pouquíssimos modelos à venda é o BD450, da LG:

 https://www.lg.com/br/video/lg-BP450. Uma solução encontrada por alguns colecionadores é adquirir um videogame Xbox One S, que já reproduz discos Blu-ray 4K em HDR e Dolby Vision (com boa qualidade) e faz streaming de filmes e séries também em 4K. No entanto, fique atento porque há duas versões do Xbox One S: uma com drive Blu-ray e outra sem drive, conhecida como “All Digital Edition”, mais acessível, apenas para streaming e jogos online. O modelo com drive já saiu de linha, embora ainda seja possível encontrá-lo em algumas lojas na internet. Os videogames Xbox One X e Xbox one Serie X (mais caros e com melhor processamento para games) também reproduzem discos Blu-ray Full HD e 4K. Uma dica: assim como no segmento de smartphones, algumas empresas na web chamam a atenção por preços muito baixos quando na verdade praticam golpes. 

LED vs OLED

Como assinante fiel dessa conceituadíssima revista, gostaria de saber se os novos TVs OLED da Sony e Panasonic chegarão ao Brasil. Estou em dúvida entre Sony LED XBR 55″ 955 e uma LG OLED 55″, mas não tenho a menor simpatia por essas marcas chinesas ou coreanas. 

A Sony já encerrou suas vendas no Brasil e fechou a fábrica que tinha em Manaus: https://www.hometheater.com.br/portal/2020/09/15/sony-fecha-fabrica-e-encerra-producao-no-brasil/ 

Quanto à TV OLED Panasonic JZ2000 (65″ e 55″), top de linha da marca apresentada na CES 2021 (veja nossa cobertura aqui), a previsão de lançamento no mercado internacional é a partir de junho. No Brasil, a Panasonic não tem previsão de lançamento. Tanto a Sony XBR-X955G quanto a LG OLED CX são ótimas escolhas dentro de seus segmentos e tecnologias. A OLED leva vantagem em relação à qualidade de contraste (nível de preto absoluto), upscaling de sinais HD e Full HD, fluidez de movimentos, fidelidade de cores e controle remoto com sensor de movimentos. Para se ter uma ideia, usamos um modelo OLED55CX como referência em nossa sala de testes.  

RUÍDO NO SUBWOOFER

Possuo dois subwoofers, sendo que descobri recentemente que ele gera um “leve ruído”, sendo que o primeiro subwoofer já tem uns 3 anos e só agora descobri o ruído gerado, pois é muito baixo, tem que encostar o ouvido na caixa e mesmo assim é difícil de ouvir mas o ruído está lá. Será que é o famoso “loop de terra”? O segundo subwoofer já gera um ruído mais alto, e ambos estão ligados no mesmo protetor de rede, e estão ligados com o cabo que vem do receiver para a caixa, da mesma marca, com blindagem dupla. Mesmo retirando o cabo do receiver, continua o ruído. Gostaria de saber se a interferência pode reduzir a vida útil da caixa.

Esse ruído provavelmente se trata do famigerado loop de terra, ou alguma outra interferência transitória na rede elétrica. O problema pode ser atenuado (ou eliminado) com um bom condicionador de energia, desde que ligado a uma instalação elétrica independente (em fase, neutro e terra). A vida útil do subwoofer não será reduzida com o surgimento desse ruído. No entanto, fique atento se o ruído é alto (intenso) o suficiente para fazer com que o subwoofer ligue de modo automático e assim permaneça por muito tempo. Se isso ocorrer, obviamente aumentará o consumo de energia no sistema e o sub poderá se aquecer demasiadamente, ocasionando sim problemas a longo prazo.  

Para saber mais sobre instalação elétrica, veja matéria completa na revista HOME THEATER & CASA DIGITAL:  https://www.hometheater.com.br/portal/2020/08/06/edicao-291-agosto-2020/.

SONY AINDA VALE A PENA?

Possuo atualmente uma TV Sony 65 605f em conjunto com um home theater da Onkyo S5800. No máximo em 3 meses, pretendo trocar por uma Sony também, modelo OLED XBR-65A9G. Gostaria por favor que você comentasse aqui sobre essa TV, qual seu ano de fabricação, se sua configuração é atualizada, se a troca vale a pena e se é vantajoso “ainda” adquirir essa marca, por conta da saída da fábrica da Sony do Brasil?

Sim, trata-se de uma TV atualizada em recursos, processamentos e melhorias de imagem, algumas delas também encontradas nas séries CX e GX da LG, como o brilho mais forte em legendas e alta qualidade Dolby Vision, pois trabalham com a mesma geração de painel OLED. No entanto, como você bem lembrou, a Sony está saindo do Brasil e acreditamos que o suporte técnico e reposição de peças pode ficar comprometido a longo prazo, apesar de que dificilmente em uma TV top de linha como essa surge qualquer problema. Contudo, há sim um risco. 

TV OLED

Estou impressionado com a TV LG OLED. Já deu até pra esquecer da Sony. As cores são magníficas e fiéis, estou muito satisfeito com a compra. Infelizmente não tive sorte com instalação da TV, devido a erro do técnico com a configuração do áudio. Acontece que não consigo usar as teclas de volume da TV e as teclas de mudança de áudio no controle do home theater. Reclamei no SAC da loja e agora estou aguardando retorno de um novo técnico para configurar corretamente. 

De fato, a fidelidade de cores realmente impressiona em TVs OLED. Quanto às configurações de vídeo, uma das vantagens de displays OLED é que já vêm com seus ajustes prontos para visualização em ambiente escuro. A LG oferece dois modos ISF, enquanto a Panasonic, dois modos THX. De qualquer forma, há alguns ajustes que você pode querer alterar minimamente, caso sua sala não tenha controle total de luz; um deles é o “LUZ OLED”. Já o TruMotion, que melhora a nitidez (e clareza) nas imagens em movimento, também pode ser reduzido ou desligado de acordo com a sua preferência. Em relação à configuração de áudio, verifique se os ajustes HDMI / ARC no home theater estão corretos e/ou selecionados, pois a TV reconhece automaticamente o receiver ou soundbar desde que ele esteja conectado na entrada HDMI 2 ARC. Feito isso, basta entrar no menu, ir até o símbolo de “som” e escolher “HDMI ARC”.

PROJETORES

Estou montando um Home Theater na sala do meu apartamento e procuro um projetor que vai ser usado para assistir filmes e seriados à noite. Eventualmente algum jogo de futebol durante o dia… Gostaria de saber se há muita diferença em qualidade de imagem entre os projetores Epson Home Cinema 2150 e Sim2 Crystalcube. A diferença de valor é bem significativa. Sabe me dizer se a diferença de qualidade de imagem é tão grande de um para o outro?

 O HC2150 é um modelo de tecnologia 3LCD de visual “convencional” com brilho de 2.500 ANSI lumens, mas com algumas características encontradas em modelos mais caros. É o caso da função de Interpolação de Quadros, que suaviza movimentos na imagem (ideal para esportes), Lens Shift (deslocamento de lente), para facilitar a instalação sem incorrer em distorções na imagem, e ainda zoom óptico e foco motorizados. Além disso, é um modelo recente (em linha), cuja lâmpada de 250W tem durabilidade de 3.500 horas no modo normal ou 5.000 no modo econômico. A garantia da Epson é de 3 anos. O Crystal Cube é um modelo de tecnologia DLP de design especial em gabinete cúbico de cristal de vidro espesso, na cor branca ou preta, e que ajuda a valorizar a decoração ambiente. Oferece 2.300 ANSI lumens e ajustes capazes de otimizar a qualidade da imagem. No entanto, trata-se de um modelo fora de linha (veja aqui o teste feito por nossa equipe em 2015) e com uma vida útil de lâmpada (200W) estimada em 2.000 horas no modo normal ou 3.000 no modo econômico. A garantia da SIM2, via distribuidor oficial no Brasil (Som Maior), é de 1 ano. Apesar de fora de linha, o Crystal Cube ainda é um modelo de ótimo contraste, boa fidelidade de cores e com calibragem de imagem para se assistir em ambiente escuro.

SUBWOOFER FORA DE LINHA

Adquiri recentemente um subwoofer, mas apesar de ser “novo”, já faz um tempo que foi fabricado e inclusive já saiu de linha, o modelo é o Kef Q400. O fato é que em pouco mais de 2 meses, as bordas começaram a alterar de cor, ficando meio “brancas”, com aspecto de “ressecado”. Gostaria de saber o que pode acontecer futuramente, tipo “rasgar, esfarelar, etc”. E o que deveria fazer (enviar para a loja, assistência técnica)? 

Já vimos vários subwoofers em que o driver tinha essa borda emborrachada com aspecto um pouco desbotado ou acinzentado, devido a ação do tempo ou temperatura ambiente onde foi armazenado ou está instalado. Mas fique tranquilo que isso em nada afeta o desempenho do cone e tão pouco dos graves produzidos pela caixa. No entanto, alguns cuidados são importantes para garantir a maior durabilidade de um sub: 

1º Não permita que a caixa receba sol (janela aberta), umidade ou vento frio diretamente de um ar-condicionado. 

2º Nunca use produtos químicos para a limpeza do woofer; basta uma flanela ou pano de microfibra para suavemente remover a poeira. 

3º Como se trata de um sub novo, recomenda-se que nas primeiras 200 horas de uso o ganho de volume não ultrapasse os 50% de seu curso. 

4º Sempre que for refazer a conexão do sub com o receiver, desligue a caixa, seja no botão OFF ou removendo seu cabo de força.

5º Não deixe de ligar o sub ao condicionador de energia do sistema, mesmo que para isso seja necessário usar um cabo bem maior ou uma extensão.   

HDR vs DOLBY VISION

É melhor comprar uma TV LED com Dolby Vision e Dolby Atmos ou uma QLED com HDR10? A diferença entre as duas é de apenas R$ 100,00.

Mais importante do que a compatibilidade de uma TV com as variações de HDR é saber o tipo de backlight, se Edge-lit ou Local-dimming (ou Full Array LED). Isso porque é o tipo de backlight utilizado na LED-LCD que será o responsável pelo brilho e contraste, portanto fator determinante para uma melhor reprodução de imagens HDR (ou Dolby Vision). O tipo de painel LCD também não deve ser esquecido: IPS (melhor ângulo de visão) ou VA (melhor nível de preto). A princípio uma QLED leva vantagem sobre uma LED convencional. Contudo, procure ir a uma loja e conhecer as TVs com conteúdos variados, bem como sua plataforma smart.   

HOME THEATER IN A BOX

É impressão minha ou os home theaters estão sendo substituídos pelas soundbars? Nos home theaters a potência é bem maior! Acho que eles merecem continuar firmes e fortes no mercado, mas o que tenho visto é o contrário. Pouquissímas opções de aquisição, e uma grande variedade de soundbars. A tendência será essa mesmo?

De fato, os home theater in-a-box já foram quase todos substituídos pelas soundbars. A maioria dos fabricantes tradicionais aqui no Brasil ampliou suas linhas de soundbars, devido à demanda para esse tipo de produto ser cada vez maior. Sabemos das suas limitações de potência, canais e envolvimento surround, por isso sempre orientamos que o consumidor instale a barra e subwoofer sem fio em quarto ou sala pequena, mas nunca substituindo um receiver com cinco caixas e subwoofer ativo. Os fabricantes estão aprimorando a qualidade das soundbars. Mas sabemos que ainda vai demorar (muito) para alcançar o desempenho de um verdadeiro home theater.

DOLBY ATMOS

Sou assinante da revista há mais ou menos 23 anos, e gostaria que me dessem uma ajuda. Adquiri uma TV Philips 50 PUG6654/78, pois ela tem sistema Dolby Atmos. Mas não estou conseguindo ver os filmes no Netflix com este codec. Antes aparecia, agora não mais. Posso fazer uma restauração para os valores de fábrica pelo PIN? Tenho um receiver Yamaha RX V-685 com Dolby Atmos. 

Testamos recentemente a TV 4K Ambilight da Philips (veja aqui o vídeo), e não tivemos nenhum problema para ver filmes do Netflix em Dolby Atmos com um receiver Yamaha. Antes de resetar os parâmetros de fábrica, verifique se o cabo HDMI está conectado entre a entrada HDMI ARC da TV e a saída HDMI OUT ARC do receiver. Veja também se nas configurações de som da TV a opção de áudio multicanal HDM ou bitstream está selecionada.

TV COM PIP

Gostaria de saber se existe no mercado televisor com o recurso PIP, o conhecido picture in picture. 

Depois que surgiram as TVs Smart, esse recurso realmente deixou de aparecer. Como boa parte das plataformas permite o chaveamento rápido das entradas, TV digital e aplicativos, talvez por isso os fabricantes tenham desistido da função PIP. A Samsung oferece o recurso Multi Tela, que divide a tela em duas: de um lado reproduz o conteúdo assistido pelo usuário naquele momento, e do outro o conteúdo espelhado por um smartphone.

6 E 8 OHMS

Meu receiver é de 8 ohms. Posso ligar caixas de 6 ohms nele?

Sim, grande parte dos receivers com impedância de 8 ohms é compatível com caixas de 6 ohms. No entanto, procure observar se o aparelho aquece muito na parte superior ou se ele desliga automaticamente quando o volume está perto do limite. Problemas de superaquecimento e sobrecarga em receivers podem acontecer, em geral, quando se usam caixas acústicas com potência admissível muito superior (mais que o dobro) daquela liberada pelo receiver.

OLED É MELHOR?

Assisti ao vídeo sobre a TV OLED Panasonic e estou avaliando que modelo comprar. A tecnologia OLED compensa a diferença de preço de uma LED? Li que a tela não é fabricação Panasonic, isso traz risco à durabilidade do aparelho? A falta do modelo 55” é porque não teve procura?

OLED é hoje a tecnologia que reproduz imagens mais precisas e realistas, inclusive com resolução 4K Ultra HD. Porém, antes de se decidir entre OLED e LED-LCD (esta corresponde a quase 90% das TVs no mercado), procure levar em conta os hábitos de uso. Se você gosta de assistir a filmes, séries e outros conteúdos mais à noite ou em ambiente escuro, um modelo OLED valoriza a reprodução. Se prefere ver diversos tipos de programas de dia, com a sala mais clara ou com as luzes acesas, as melhores opções atualmente são as QLED e as NanoCell. As OLED têm contraste insuperável, independente da marca (LG, Panasonic ou Sony), que é a característica fundamental para quem prefere assistir em ambiente com pouca luz. Embora os preços venham caindo nos últimos anos, a tecnologia OLED ainda é mais cara que a LED-LCD. Vale a pena, se você é exigente com a qualidade da imagem. Sobre a fabricação, todas as TVs OLED à venda no Brasil utilizam painel de pixels orgânicos da LG (o que não traz nenhum risco ao desempenho do aparelho). Porém, cada fabricante trabalha com seus próprios processadores, filtros de luz e de cor, além de plataforma de navegação smart independente. Realmente, a OLED Panasonic de 55″ (TC-55GZ1000B) anda em falta no mercado, mas a empresa informou que logo será substituída. 

RECEIVER ANTIGO

Gostei bastante da reportagem “Receiver antigo: dá para reaproveitar no meu sistema?”, publicada em 2017. Encontrei a matéria na busca por uma solução para uma questão que tenho no momento. Quero montar uma sala de home theater multicanal 5.1 e tenho um Blu-ray Samsung que não é 5.1, mas que gostaria de aproveitar. Minha TV é uma Sony 32″ Full-HD, com entradas e saídas HDMI e ópticas, que não é smart, mas serviria em minha sala pequena. Pretendo dispor todos os alto-falantes no forro de gesso, exceto o subwoofer (ainda não os comprei). Gostaria de investir o mínimo possível. Posso adquirir um receiver 5.1 mais antigo, e ligar o Blu-ray e as caixas no receiver para assistir filmes em Full-HD com áudio 5.1? Poderia adquirir ao invés do receiver, um home theater 5.1 sem as caixas, somente o aparelho, e proceder com as mesmas ligações anteriores?

Sim, é possível adquirir um receiver antigo, sem as caixas acústicas, para conectar caixas de teto. No entanto, não deixe de adquirir também um subwoofer, já que caixas de embutir não apresentam grande resposta de graves. O subwoofer é essencial para garantir envolvimento e impacto nos filmes, séries e shows. Apesar de sua sala ser pequena, sugerimos também uma TV maior, a partir de 43″.

CALIBRAGEM

Meu subwoofer realmente faz um loop de terra, mas desligando o LFE e ligando o botão Gnd lift fica muito baixo o ruído, só ouve se “colar” o ouvido na caixa… Mas a turbulência no duto acontece com músicas que possuem baixa frequência, que descem muito… e como está em fase de amaciamento, não toco alto, só o suficiente para o falante excurcionar um pouco. Agora não sei se é por que também não estou conseguindo fazer a autocalibração, dá erro justo no subwofer. 

Em geral, erros durante a calibragem do subwoofer ocorrem devido a uma falha de conexão. Um cabo mono deve estar conectado entre a saída LFE do receiver e a entrada “LFE” ou “L” do sub). Caso você tenha um cabo “Y” melhor: conecte a extremidade mono do cabo na saída LFE do receiver e a extremidade estéreo às entradas L e R do sub. Além disso, o subwoofer deverá estar ligado para iniciar a calibragem, pois muitas vezes em standby automático ou com o volume muito baixo o ajuste de test tone do receiver não excita o subwoofer e também dá erro. É provável que essa turbulência no duto de ar aconteça devido apenas a uma falta de sintonia ou ajuste. Entre no menu/setup do receiver e configure o subwoofer para começar a responder a partir da frequência mais baixa que suas caixas são capazes de responder. Por exemplo, se você tem caixas que descem até 80Hz, procure ajustar o sub para responder a partir de 100Hz. Além disso, procure posicionar o sub em outro local, remova algum móvel (poltrona ou pufes) que por ventura esteja a sua frente, ajuste o volume do sub para no máximo 50% de seu curso e faça testes até notar que os graves se propagam melhor, sem ruídos ou distorção.