TV OLED 8K lançada no Exterior em meio a polêmica

Outra atração da IFA 2019 é a estréia do primeiro TV OLED com resolução 8K (7.680 x 4.320 pixels), primazia da LG. Já vimos o protótipo na CES, em janeiro, mas agora o aparelho de 88″ está em pré-venda em alguns países – nos EUA, o preço de lançamento é de US$ 42.000.

Fotos e vídeos que chegam de Berlim mostram imagens exuberantes, e não se poderia mesmo esperar algo diferente. O TV LG Z9 é o maior painel OLED já lançado, façanha que tem um custo altíssimo – daí o preço astronômico. Para termos de comparação: o QLED 8K 85″ da Samsung está saindo no mercado americano por US$ 15.000.

Sabe-se há muito tempo que o custo de fabricação de painéis OLED acima de 55″ é um dos grandes entraves à disseminação dessa tecnologia. Embora a qualidade de imagem continue sendo superior, o chamado yield – que pode ser definido como a taxa de aproveitamento dos painéis na linha de produção – ainda é muito baixo para os padrões da indústria. Há quem afirme que a LG, maior fabricante de OLED, está subsidiando esse nicho de mercado, o que inclui fornecer painéis às concorrentes Sony e Panasonic, e assim ganhando tempo para atingir melhor aproveitamento mais à frente.

Seja como for, o lançamento na IFA vem acompanhado de muita polêmica, como se já não houvesse muita na rivalidade entre LG e Samsung (leia-se: OLED x QLED). Num comunicado oficial, a LG adverte os consumidores que “nem todos os TVs 8K são iguais”. E divulga uma especificação chamada CM (Contrast Modulation), criada por um comitê da SID (Society for Information Display), entidade internacional de pesquisas com sede na Califórnia. Segundo esse comitê (ICDM – International Committee for Display Metrology), todo TV 8K deve apresentar no mínimo 25% de modulação de contraste e, hoje, somente o modelo LG Z9 supera esse índice.

Claro que a simples divulgação desse requisito já provoca controvérsia. Na semana passada, a UHD Alliance – consórcio que define as normas do padrão de resolução 8K – divulgou as especificações obrigatórias para esses TVs (vejam aqui). E em nenhum momento cita a tal CM. Teremos que aguardar para ver até onde vai essa nova polêmica.