Teste: conjunto de caixas Dolby Atmos da Focal

Quando surgiu o processamento Dolby Atmos, muitos ficaram surpresos com seus 34 canais de áudio. A sala da maioria das pessoas sequer comporta um sistema de 7.1 canais ou, agora na leitura do Dolby Atmos, 5.1.2. É aí que entra o novo conjunto de caixas acústicas Sib Evo 5.1.2, da Focal.

DESCRIÇÃO

Concebido em parceria com a Dolby, o pack Atmos Sib Evo não por acaso é um dos conjuntos de maior sucesso atualmente no mercado europeu. Seu diferencial está nas satélites frontais, de três vias, com woofer de 5″ e tweeter de ¾” (19mm) na frente, além de um falante full-range de 4” apontado para o teto, no ângulo recomendado pela Dolby.

A ideia é que as ondas dispersadas em plano vertical e refletidas no teto criem efeitos tridimensionais a partir de trilhas Atmos de filmes e séries. Nesse conjunto, as caixas central e surround são um pouco menores, mas trazem o mesmo woofer feito com o cone Polyflex, combinado de polipropileno e poliéster de alta durabilidade, e tweeter domo de seda.

O gabinete é de plástico altamente rígido e acabamento brilhante, em design refinado de linhas curvas. Todas são do tipo bass reflex, assim como o Cub Evo, subwoofer estruturado em MDF, que abriga falante down-firing de 8” (Polyflex) e amplificador Classe D de 200W. É um sub compacto, com pezinhos cônicos anti-vibração, e pode caber em nichos da sala.

INSTALAÇÃO

Cada satélite do conjunto Focal, que instalamos a 1m80 entre si e a 2m50 da posição de audição, vem pré-montada em sua base com inclinação ajustável em +/- 5 graus; igual ocorre com a central, a ser posicionada na horizontal, permitindo girar o logotipo estampado no painel.

Dois arrojados suportes de parede para as surround, que ficaram logo atrás do sofá e a 1m65 de altura do piso, vêm na embalagem. A Focal adotou entrada dos cabos por pressão, com os terminais positivo e negativo integrados num único botão, para fios de no máximo 14AWG (1,6mm).

No caso das frontais, cada uma deve ser conectada a dois pares de cabos, sendo um par destinado ao falante vertical do Dolby Atmos. Interessante é a capacidade de potência das satélites (até 200W). Com um receiver de 125W em cada canal, a pressão sonora foi mais que suficiente para um espaço de 15m2 com pé-direito padrão de 2m80.

Já o subwoofer traz controles de volume, que preferimos manter no limite de 70%, crossover (no máximo ou LFE), fase (0º) e chave liga desliga-automático. Na entrada estéreo, pode ser ligado um cabo mono até a saída LFE do receiver. Encontramos o melhor ponto de graves para o sub na área frontal da sala, perto do encontro entre as duas paredes.

AVALIAÇÃO

Como de costume, começamos nossos testes do sistema compacto Focal em estéreo, bypass e sem subwoofer. Em princípio, as Sib Evo não tiveram dificuldades em preservar o vocal de estilo doce e emotivo da intérprete Gretchen Parlato (The Lost and Found – FLAC 44/16) e notas mais altas e médias de sax e piano, de forma harmoniosa, em alto volume.

O bom equilíbrio no jazz se refletiu também no pop do Tears For Fears (Song From de Big Chair – FLAC 96/24), com abertura de palco típica de caixas bem projetadas. Em 2.1 canais, o som ganhou abrangência para reproduzir diversos instrumentos, como se partissem de bookshelves de maior porte.

Com a formação 5.1.2, percebe-se que o conjunto foi idealizado para o subwoofer suprir a carência das satélites, que chegam planas até os 65Hz. Dadas as suas características de construção, o Cub Evo não é dos mais potentes e impactantes, mesmo assim não foi preciso
ultrapassar os 70% de volume dentro de nossa sala.

As trilhas Dolby Atmos de Batman vs Superman – A Origem da Justiça e de Terremoto – A Falha de San Andreas (Blu-ray) mostraram a habilidade do conjunto em lidar com os efeitos verticais. No primeiro capítulo de Terremoto, até o resgate aéreo, o campo sonoro envolve de maneira surpreendente.

Os diálogos claros e bem centrados, combinados ao ruído intenso do helicóptero sobre o veículo, que deslizava pelo despenhadeiro, faziam parecer que os sons dos fragmentos partiam de todos os lados.

Mais à frente, quando a aeronave executa voos rasantes até uma aterrisagem forçada dentro de uma loja, a sensação de som vindo de cima foi menor do que tínhamos ouvido através de caixas de teto. Mas preencheu o espaço frontal da sala com efeitos tridimensionais.

CONCLUSÃO

O conjunto Sib Evo pode ser uma ótima solução para quem possui sala pequena e quer embarcar na onda do Dolby Atmos.

FICHA TÉCNICA

CONJUNTO DE CAIXAS FOCAL SIB EVO DOLBY ATMOS 5.1.2
DRIVERS: tweeter ¾” + woofer 5” (satélites) / woofer 4” (canal Atmos no topo da frontal)
POTÊNCIA ADMISSÍVEL: 200W
IMPEDÂNCIA: 6 ohms
SENSIBILIDADE: 90dB
RESPOSTA DE FREQUÊNCIA (+/-3dB): 65Hz–25kHz (front); 90Hz–20kHz (canal Atmos); 70Hz–25kHz (Cen/Sur)
DIMENSÕES (L x A x P): 19 x 29 x 19cm (front); 16 x 25 x 16cm (Cen/Sur)

SUBWOOFER CUB EVO
DRIVER: 8”
POTÊNCIA DE SAÍDA: 200W
RESPOSTA DE FREQUÊNCIA (+/-3dB): 35–150Hz
DIMENSÕES (L x A x P): 28 x 30 x 30cm

PREÇO SUGERIDO CONJUNTO: sob consulta
FABRICANTE: Focal
DISTRIBUIDOR: Audiogene

* Teste realizado pela equipe da revista HOME THEATER & CASA DIGITAL – sob coordenação de Alex dos Santos – e originalmente publicado na edição de fevereiro (#265); para ver a versão digital em seu Android ou iOS, inclusive da edição atual, clique aqui.

COMPARTILHE COM SEUS CONTATOS: