Do 5G ao 8K, o que se pode esperar da CES 2020

Por Orlando Barrozo*

5G, IoT, Smart Home, Sex Tech, inclusão digital, 8K. Tudo isso e muito mais, e não necessariamente nessa ordem, é o que podemos esperar da edição 2020 da CES, que abre as portas oficialmente nesta terça-feira 07/01 em Las Vegas. Com previsão de aproximadamente 180 mil visitantes representando mais de 100 países, a feira deste ano consegue algo que um ano atrás parecia impossível: crescer mais ainda, com o acréscimo de áreas antes fora da agenda tecnológica, incluindo financiamento do Banco Mundial a comunidades carentes e uma nova abordagem para o uso da tecnologia no… bem, vamos lá… sexo.

O anúncio da volta da Apple ao evento, após 28 anos ausente, sem dúvida agrega valor a um evento que continua querendo ser maior a cada ano. Em vez de organizar sua tradicional conferência de desenvolvedores na Califórnia, a empresa da maçã decidiu voltar apostando em dois trunfos: sua plataforma HomeKit, para automação residencial, e os requisitos de privacidade do iPhone, considerados uma boa vantagem competitiva em relação aos smartphones da concorrência.

Automação e mobilidade, aliás, são dois dos segmentos que mais crescem no mercado mundial de tecnologia, e a Apple certamente está atenta a isso. Vamos então a um panorama dos setores que mais devem apresentar novidades nesta CES 2020:

Smart Home

Se olharmos para dez anos atrás, veremos que o espaço dedicado na CES à automação saltou de mero nicho para atração dominante em todos os pavilhões. Este ano não deve ser diferente. Além dos assistentes virtuais que já brilharam em 2019 (mérito para Amazon e Google), o evento agora terá fabricantes como Samsung, LG, TCL, Panasonic, Lenovo, Apple, Bosch e Dell, entre inúmeros outros, montando espaços que simulam ambientes de uma “casa inteligente”. Além disso, entre os expositores há uma infinidade de marcas menos conhecidas – e mesmo startups – explorando a chamada automação low-cost, porta de entrada para sistemas smart de maior porte.

Assistentes Virtuais

Com as caixinhas smart tomando conta de casas e apartamentos, acionar os aparelhos domésticos vai ficando cada vez mais fácil. Milhões de famílias pelo mundo afora estão se acostumando a falar com os dispositivos domésticos – dos TVs aos eletrodomésticos, passando por equipamentos de som e até sensores que abrem e fecham portas.

TVs e monitores

Por mais que amplie suas fronteiras, a CES sempre foi e continua sendo o palco principal para lançamento de TVs. Foi assim com os 8K no ano passado e, embora esse padrão ainda não tenha decolado junto ao público (o que era esperado), deve acontecer de novo este ano. As duas rivais coreanas mais uma vez apontam uma na direção da outra. Enquanto a LG distribuiu teasers de uma TV OLED rollable que desce do teto, a Samsung fez o mesmo com as novas QLED Zero-Bezel, que não têm borda, cuja foto abaixo vazou na internet. Ambas com resolução 8K, é claro.

A realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio, no meio do ano, marca o lançamento oficial do padrão 8K nas transmissões abertas de TV, mesmo sendo esse ainda um sonho distante para a maioria dos terráqueos. Os fabricantes de TVs querem aproveitar o evento para tornar mais conhecida a tecnologia que permite exibir na tela mais de 33 milhões de pixels (exatamente 7.680 x 4.320).

Uma novidade no campo dos painéis é o Mini-LED, anunciado pela chinesa TCL como alternativa a OLED e MicroLED, este exibido pela Samsung na CES 2019. Mas não se prevê grandes inovações no domínio 4K. 

5G

Nos EUA e alguns países da Europa e Ásia, o novo padrão de comunicação celular já deu a largada, iniciando o que muitos especialistas consideram a grande revolução deste século. Definidos os parâmetros técnicos e as regras para prestação do serviço (coisa que no Brasil ainda parece distante), os principais fabricantes de smartphones e tablets – presentes na CES 2020 – irão demonstrar muita novidade em 5G. A Dell, por exemplo, promete uma versão do laptop Latitude com o selo “5G-Ready”.

Já a Samsung, que lançou no mercado internacional a maior oferta de smartphones 5G até agora, terá vários deles em seu gigantesco (como sempre) estande. Num blog recente, o CEO H.S.Kim, que fará o discurso de abertura do evento, anunciou que o grupo aposta na combinação entre 5G, Inteligência Artificial e Internet das Coisas para criar um “mundo verdadeiramente conectado”.

Outra gigante participando da CES 2020, a IBM aposta na tecnologia edge computing, que permite o processamento de grandes quantidades de dados gerados por dispositivos móveis sem ter que recorrer à nuvem – ou seja, com mais rapidez e eficiência. A IBM, claro, não mira apenas o mercado residencial, mas o big data para expansão de veículos autônomos e das cidades inteligentes.

Mobilidade

A palavra da moda no segmento é foldable – referência aos smartphones e tablets que podem ser dobrados e desdobrados ampliando a área de tela. Sabe-se que Samsung, Apple e Huawei geralmente deixam para apresentar seus lançamentos no MWC de Barcelona (fevereiro). Ainda assim, as promessas incluem um laptop flexível da Lenovo com tela OLED e smartphones dual-screen de pelo menos três marcas top: HP, Asus e Xiaomi.

Seja qual for a forma ou o design, os dispositivos móveis serão cada vez mais associados aos wearables, que já não se restringem aos relógios de pulso smart e às pulseiras que medem pressão e batimentos cardíacos. Os visitantes da CES 2020 terão a oportunidade de ver e experimentar inúmeros itens de Realidade Aumentada (AR), incluindo óculos acoplados a fones de ouvido, capacetes, bonés etc. Fones de ouvido sem fio também entram nessa categoria, com recursos cada vez mais avançados de cancelamento ativo de ruídos.

Fique atento ao hometheater.com.br, para acompanhar diariamente as novidades que chegarão de Las Vegas nos próximos dias.