Realidade virtual deve bater recorde de vendas em 2018

Por JULIO COHEN, enviado especial a Las Vegas.

As tecnologias de realidade aumentada (AR) e realidade virtual (VR) devem ter crescimento recorde em 2018, diz um novo estudo da Consumer Technology Association (CTA), entidade que organiza a CES Las Vegas. O evento, aliás, terá este ano uma área de exposição bem maior que nos anos anteriores dedicada a essas inovações.

O estudo US Consumer Technology Sales and Forecasts, a ser divulgado durante a Feira, projeta que somente nos EUA serão vendidos este ano cerca de 4,9 milhões de dispositivos AR/VR, como fones de ouvido e óculos especiais (mais de 25% acima do que se vendeu em 2017). Isso deve representar para os fabricantes receitas da ordem da US$ 1,2 bilhão, quase 10% sobre o ano passado.

Segundo a CTA, esse crescimento deve continuar pelos próximos cinco anos. Na CES 2018, o setor AR/VR ocupa uma área de aproximadamente 4.000m2, incluindo soluções para games, filmes, educação, saúde e sinalização digital. Isso equivale a 18% de expansão sobre a CES 2017. “Estamos muito impressionados com o crescimento do setor, indicando que o céu é o limite para essas tecnologias emergentes”, admite Karen Chupka, vice-presidente da CTA. “Nossa intenção é que os visitantes possam de fato experimentar o mundo virtual em todas as suas possibilidades”.

Para orientar melhor os fabricantes, produtores e desenvolvedores que atuam nesse mercado, a CTA decidiu criar definições gerais sobre as tecnologias. São elas:

Realidade Aumentada (AR) – Soluções em que conteúdos digitais se somam ao “mundo real” do usuário;

Realidade Virtual (VR) – Cria um ambiente digital que substitui o “mundo real” do usuário;

Realidade mista (MR) – Cria uma experiência que combina o “mundo real” e o “mundo virtual”, que coexistem e interagem entre si.

Além disso, a CTA criou um grupo de trabalho que em breve apresentará uma proposta de normas técnicas para direcionar todo o segmento; essa proposta precisará ser aprovada pelo American National Standards Institute. A ideia é incluir definições técnicas detalhadas para dar suporte a futuros projetos de AR, VR e MR, além de sugerir as melhores práticas aos consumidores e  profissionais da área.

“É missão da indústria ajudar os consumidores a entenderem as tecnologias e os conteúdos disponíveis”, explica Mark Turner, coordenador do grupo de trabalho. “Os investimentos que estamos vendo em tecnologias imersivas, além de outras inovações como werables e buscas por voz, indicam que o futuro será excelente nesses campos. Um futuro em que seu ambiente físico poderá ser adaptado a atividades de trabalho e de entretenimento”.

A CTA informou ter acolhido em 2017 mais de 100 novos filiados que atuam nessas tecnologias emergentes. O grupo de trabalho que estuda as novas normas técnicas é formado por empresas como Amazon, Dolby, Fox, Intel, Samsung, Sony, Microsoft e NVIDIA, entre outras. Para se atualizar sobre a evolução desses estudos, visite o endereço CES.tech, e acompanhe os seminários Tapping Virtual Reality’s Real Potential e Understanding the AR and VR Content Challenges, que serão realizados durante a CES 2018.

FONTE: CTA

Facebook
Facebook
YouTube
YouTube
Instagram
LINKEDIN

htbest