Será que os fones de ouvido sem fio são melhores para ouvir música?

Confira os segredos por trás dessa tecnologia, que está crescendo em todo o mundo. 

Por Alexandre Algranti*

Alexandre Algranti é o Chief Headphone Officer do site fonesdeouvido.com.br. Leitores deste blog tem 10% de desconto em qualquer compra no site com o código HT2018.

James Clerk Maxwell (1831-1879) previu e Heinrich Rudolf Hertz (1857-1894) comprovou a existência das ondas eletromagnéticas. Dois Santos Padroeiros do Eletromagnetismo, eles foram respectivamente agraciados com duas unidades de grandeza, o Mx, que mede o fluxo eletromagnético no Sistema CGS; e o Hz, que mede a frequência das ondas no Sistema Internacional (SI).

Mas foi Guglielmo Marconi (1837-1937) que ganhou os louros – os royalties – com a invenção prática do rádio, em uma disputa que envolveu o padre brasileiro Roberto Landel de Moura (1861-1928) e Nikola Tesla (1856-1943), entre outros.

A transmissão sem fio também é de natureza ondulatória: emissoras de rádio e televisão, telefones celulares, microfones sem fio e demais dispositivos sem fio geram distúrbios nos campos elétrico e magnético que se propagam a velocidade da luz.

Os fones de ouvido sem fio foram introduzidos na década de 1990 com tecnologias transmissão via luz infravermelha e via ondas de rádio. A difusão dos smartphones em conjunto com a tecnologia de interconexão sem fio Bluetooth na década de 2010 consolidaram os fones de ouvido sem fio como a categoria do momento.

Porém, fica a questão: fones de ouvido sem fio possuem a mesma qualidade sonora dos fones com fio? Toda transmissão sem fio introduz distorções no sinal de áudio, inerentes ao processo, então pode-se afirmar que, ceteres paribus, com fio sempre é melhor. Para mitigar os efeitos da transmissão sem fio, foram desenvolvidas tecnologias como a Kleer e a aptX. Enquanto o sistema Kleer permite transmitir áudio em qualidade CD com 16 bits a 44,1 KHz, a tecnologia aptX em sua versão HD permite transmissões com Áudio de Alta Resolução.

A operação sem fio faz necessária uma bateria, geralmente recarregável via cabo USB, com alguns modelos operando por até 30 horas com uma única recarga. Para o caso da bateria descarregar na ausência de um recarregador, os fones de ouvido sem fio geralmente são acompanhados por um cabo de áudio para conexão direta, muitas vezes com um microfone integrado para uso com chamadas telefônicas.

Por último, alguns modelos mais sofisticados incorporam a tecnologia de cancelamento ativo de ruídos, fazendo do fone de ouvido sem fio uma interface homem máquina definitiva.

Esta coluna já testou e aprovou os seguintes fones de ouvido sem fio disponíveis para compra no Brasil:

  • Bose Quiet Comfort 35 (disponível nas lojas DUFRY nos principais aeroportos internacionais)
  • JBL E45 BT (disponível em jbl.com.br)
  • Samsung Level On Wireless Pro (disponível em samsung.com.br)
  • Sennheiser RS 175 (disponível em sennheiser.com.br)

Boas audições!

*Alexandre Algranti é o Chief Headphone Officer do site fonesdeouvido.com.br. Leitores deste blog tem 10% de desconto em qualquer compra no site com o código HT2018.

Facebook
Facebook
YouTube
YouTube
Instagram
LINKEDIN

htbest

%d blogueiros gostam disto: