Cresce o segmento de locação de imóveis inteligentes

Reportagem do site Infomoney esta semana revela uma nova tendência no segmento imobiliário: casas e apartamentos para locação que já vêm com recursos smart. Nada muito avançado, apenas uma caixinha Google Home e o recurso Chromecast instalado. A ideia é de uma startup chamada Casai, que para todos os efeitos chama esses imóveis de smart homes.

Como AirBnB e outras do gênero, a empresa é uma plataforma que coloca em contato proprietários de imóveis disponíveis e candidatos à locação, seja como moradia permanente ou para turismo. Já são 100 unidades oferecidas na capital paulista, com ocupação acima de 90%, diz a Casai, ao custo de R$ 300 a R$ 400 por noite. E há planos de expandir para cidades como Rio de Janeiro, Florianópolis e Búzios. No México, a empresa tem cerca de 300 imóveis alugados nesse esquema. Vejam aqui os detalhes.

De fato, a tecnologia pode ser grande aliada do mercado imobiliário, na medida em que atrai usuários com poder aquisitivo elevado. Quem já viajou sabe como é terrível chegar num hotel e descobrir que a internet não funciona – às vezes, nem a televisão ou o celular. Com todo mundo hoje dependente da internet, oferecê-la valoriza o imóvel, com certeza. Não será surpresa se logo surgirem casas e apartamentos com sistemas de automação mais amplos e até cozinhas inteligentes, com aquelas geladeiras que informam (por app) quando está acabando o estoque de cerveja.

E, a propósito, vejam esta estatística divulgada pelo site americano VentureBeat: 54% dos proprietários acham que instalar automação torna mais fácil vender um imóvel. Isso porque os compradores preferem que tudo já esteja instalado para não terem que se preocupar com isso depois da compra. Faz sentido.