Uma viagem pela história da tecnologia OLED no mundo

Por ORLANDO BARROZO

Em 2017, para comemorar os 30 anos da introdução da tecnologia de painéis orgânicos, a SID (Society for Information Display), entidade internacional com sede nos EUA que lidera o desenvolvimento de dispositivos audiovisuais, divulgou um infográfico traçando a evolução dessa tecnologia. Apresentado no evento Display Week daquele ano, o material foi considerado a primeira análise documentada do impacto que os painéis OLED vêm tendo no mercado mundial.

        O documento apresenta minúcias sobre todo o esforço de R&D (pesquisa & desenvolvimento) de dezenas de fabricantes, acadêmicos e entidades internacionais para aperfeiçoar aquele novo modo de produzir imagens em vídeo.

        “Saudada por sua alta performance, qualidade de imagem e outros benefícios”, dizia um comunicado da SID, “a tecnologia OLED se transformou num mercado de mais de 10 bilhões de dólares. E continua crescendo e expandindo suas aplicações a setores como dispositivos móveis, wearables, home theater, indústria automotiva, Realidade Virtual e muito além”.

        Na verdade, o marco inicial do desenvolvimento dos painéis orgânicos é dado como 1950, quando pesquisadores franceses descobriram os primeiros exemplares de materiais orgânicos com propriedades de luminância. Passaram-se 37 anos até que engenheiros da Eastman Kodak, na época líder mundial na produção filmes fotográficos e cinematográficos, demonstrassem o primeiro display construído à base da mistura orgânica que permite a gravação e reprodução de imagens em vídeo.

        Anos mais tarde, a digitalização da fotografia e do cinema levou a Kodak a uma crise financeira sem precedentes, obrigando-a a se desfazer de vários ativos. Entre estes, um dos mais valiosos era o conjunto de patentes que a empresa havia registrado sobre a tecnologia OLED. O pacote foi adquirido pela coreana LG, que em breve se tornaria o maior fabricante mundial de displays orgânicos.

        “A tecnologia OLED continua em pleno desenvolvimento”, diz Ron Mertens, diretor do portal OLED-Info, sediado em Israel, que atua como uma espécie de órgão oficial da OLED Association, consórcio de fabricantes que organiza o uso desses painéis em todo o mundo. Não por acaso, o OLED-Info.com mantém uma “linha do tempo” atualizada quase que diariamente com as inovações lançadas pela indústria (veja aqui).

LINHA DO TEMPO*

* O levantamento da SID vai até 2017; as atualizações até 2020 são do site OLED-Info.com.
COMPARTILHE COM SEUS CONTATOS: