Operadoras admitem flexibilidade para atrasos de pagamento

As sete maiores operadoras de telecom do país (Claro, Tim, Oi, Vivo, Sercomtel, Nextel e Algar) assinaram comunicado conjunto distribuído na semana passada em que anunciam medidas para enfrentar a crise da COVID-19. Uma das decisões consiste em maior flexibilidade na negociação de cobranças para evitar inadimplência dos assinantes.

O comunicado – veja aqui – foi distribuído pelo Sinditelebrasil, entidade que representa a maioria das operadoras de telefonia, banda larga e TV por assinatura. Diz o documento que “as operadoras estão implementando algumas revisões em suas políticas de negociação de dívidas por inadimplência, buscando criar melhores condições de prazo e/ou isenção de juros neste momento”.

Assim como já aconteceu com a energia elétrica, o governo federal alterou temporariamente a legislação para classificar os serviços de telecom e banda larga como “essenciais” durante o período de combate à pandemia. Assim, ficam proibidos aumentos de mensalidades e alterações nos contratos em vigor. No caso da banda larga, provedores regionais não estão aceitando a medida.

No mesmo comunicado, o Sinditelebrasil anunciou outras medidas que já estão sendo adotadas pelas operadoras. Alguns conteúdos de TV e streaming foram liberados fora dos pacotes dos assinantes, e muitos destes estão recebendo bônus em seus planos de banda larga fixa e celular.

FONTE: Siniditelebrasil

Temas relacionados:

HT Streaming: ótimas sugestões de séries nos principais serviços

Netflix confirma redução na qualidade do sinal também no Brasil

Home Theater & Casa Digital libera acessos em abril

Claro cria plataforma de games dentro dos pacotes de banda larga

COMPARTILHE COM SEUS CONTATOS: